Mineirão_usina-solar_3
m1

Resultados LEED para a Copa do Mundo

Estádios Certificados como sustentáveis para a Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil

Platinum (1)

Mineirão - Belo Horizonte

Gold (1)

Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha - Brasília

Silver (4)

Estádio Beira Rio - Porto Alegre

Arena Fonte Nova - Salvador

Estádio Maracanã - Rio de Janeiro

Arena Pernambuco - Recife

Certificado (3)

Arena Amazônia - Manaus

Estádio Castelão - Fortaleza

Arena das Dunas - Natal (certificado pós Copa - Fev 2015)

Não Certificado (3)

Arena da Baixada - Curitiba

Arena Corinthians - São Paulo

Arena Pantanal - Cuiabá

Estádio LEED Não Copa (1)

Arena do Grêmio - Porto Alegre (Silver)

O Legado mais importante da Copa?

 

O sucesso da certificação LEED dos estádios da Copa deve ser comemorado como uma grande vitória para o país, talvez a maior vitória do Brasil durante a competição. Futuras Copas terão a obrigação, graças ao Brasil, de construir EcoArenas, estádios certificados pois isto agora virou prioridade para a FIFA!

Para conseguir atingir os níveis mais altos de certificação LEED na categoria Nova Construção e Grandes Reformas, os projetistas tiveram que inovar com a eficiência energética e a contribuição de usinas fotovoltáicas para a geração de energia renovável no local. Esta era a chave que as equipes buscaram para diferenciar a certificação dos estádios no Brasil dos demás.

Mas, para isto acontecer foi necessário que uma nova lei fosse aprovada para que a energia renovável gerada nos estádios pudesse ser corretamente destinada e compensada, e atendendo ao LEED através do mecanismo de compensação chamado net metering. A ANEEL passou a Resolução Nomativa Nº482, no dia 17 de abril de 2012 não só para os estádios mas todos os domicíilios e empresas no Brasil. Hoje qualquer pessoa ou entidade pode ser um micro, auto produtor de energia solar no país e o excedente de energia gerado quando o consumo é baixo, pode ser injetado na rede e compensado posteriormente quando o consumo for maior que a geração. Isto retira uma das barreiras financeiras mais importantes no crescimento de energia solar no país, o custo de armanezar energia. No final do mês a geração e o consumo são compensados pela concessionária. Esta lei pode e deve ter um impacto profundo e transformativo na geração de energia do país e na economia brasileira. Hoje os estádios solares brasileiros podem já servir de exemplo desta nova oportunidade e motivar torcedores em todo país à buscar sua independência energética.

 

E agora?

 

Muitos dos estádios brasileiros da Copa, até os que foram certificados no LEED, já estão sofrendo de operação ineficiente e insustentável. Isto infelizmente é resultado de falta de conhecimento, experiência e vontade. Entidades como a Green Sports Alliance empresas sem fins lucrativos nos Estados Unidos podem oferecer grande apoio à Operadores e Administradores de estádios no Brasil. O GBC Brasil (Green Building Council Brasil) e o USGBC (US Green Building Council) também oferecem a certificação O&M (Operations and Maintenance) uma certificação para a Operação Sustentável de edifícios existentes. A certificação LEED O&M deveria ser adotada por todos os estádios assim que possível.

Outra boa referência é o Green Sports Alliance (Aliança de Esportes Verdes.)

 

Olimpíada Rio 2016

 

Os aprendizados da organização e construção para a Copa do Mundo FIFA de 2014 no Brasil precisam ser aplicados para a Olimpíada de 2016 no Rio. O Plano CopaVerde continua servindo de ótimo guia para organizadores e administradores!

English

Plano CopaVerde para o Brasil

item2

"Uma competição pela sustentabilidade onde todos somos vencedores."